Para onde vai a Grécia?

Image

3ª Feira, 5 de Junho, a partir das 18h30

Nos últimos anos, a Grécia tem constituído o epicentro dos mais variados sentimentos e perceções. Para os grandes países da Europa, uma espécie de criança mal-comportada, objeto de paternalismo autoritário. Para os pequenos, uma visão do futuro, da qual devem, contudo, demarcar-se. Para a banca e agências financeiras, uma maneira fácil de ganhar dinheiro.

No entanto, identificamos em todos eles um sentimento subjacente: o de temor. Não do governo grego, ou do partido X ou Y, mas de pessoas de todas as idades que se levantam contra o roubo diário das suas vidas.

Aproveitando a presença de Yorgos Mitralias (Comité Grego contra a Dívida) em Lisboa, propomos uma conversa em torno desta Grécia. Aquela que, numa base diária, sai para as ruas, recusa pagar transportes e assume a gestão de hospitais. Aquela que, ao meter medo em quem manda, alimenta as esperanças de quem, noutros lados do mundo, se vê confrontado com estruturas de dominação idênticas.

Estão aqui as ligações para alguns textos escritos por Yorgos Mitralias acerca da situação na Grécia.
http://multimedia.telesurtv.net/pt/opinion/a-revolta-dos-aganaktismeni-indignados/
http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=25219
http://www.counterpunch.org/2011/06/13/the-revolt-of-the-aganaktismeni/
http://www.internationalviewpoint.org/spip.php?article2551

Image