Conversa com o autor de “Transumano Mon Amour”

«O movimento H+ é, em poucas palavras, uma organização que tem como objectivo ultrapassar, com meios científicos e tecnológicos, os limites da condição biológica do ser humano e, em última análise, almeja alcançar a imortalidade terrena.

A adjectivação “terrena” serve para expressar o aspecto aparentemente mundano e laico desta nova figura da mais antiga inquietação humana: do Épico de Gilgames, do terceiro milénio antes de Cristo, à prática da mumificação dos antigos egípcios, do pensamento taoísta à alquimia esotérica, os defensores das ideias H+ consideram-se os legítimos herdeiros dos esforços históricos da humanidade para ganhar o seu jogo de xadrez com a morte.

A nova estratégia, que ganhou forma durante os anos 1990, tende a fundir guerra com intervenções humanitárias e crise sanitária cm emergências militares.

A guerra H+ não se encontra nas declarações formais entre estados soberanos, mas na irrupção das chamadas emergências complexas – naturais ou humanas -, desastres caracterizados pela implosão do Estado, pelo colapso das infraestruturas públicas essenciais (saneamento, água, energia e provisões alimentares) e pela prevalência de doenças infecciosas.»

SEXTA-FEIRA 4 DE MARÇO NO RDA 69 – 18H00